quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Abra arquivos .uif no seu Linux

Outro dia eu estava baixando um arquivo via bittorrent quando me deparei com um arquivo .uif. Nunca tinha visto este arquivo até então, porém tive que fazer alguma pesquisa para conseguir usá-lo.

É incrível como as pessoas usam seus computadores indiscriminadamente e não se dão conta das escolhas que fazem ao usá-lo. O que é o arquivo .uif? Para que ele serve? Qual a sua especificidade?

UIF significa na verdade "Universal Image Format", que em português quer dizer "Formato de Imagem Universal", apesar de não ter nada de universal nele a não ser, é lógico, o nome.

Trata-se de um formato chinês (!!!) proprietário para a geração de imagens de CD/DVD criado por uma empresa e um programa chamados MagicISO. Algumas de suas principais "pretensas" especificidades são:

  • Boa taxa de compressão
  • Encriptação de dados
  • Proteção com senha

Digo "pretensas" porque essa "segurança" toda é facilmente burlada, convertendo o arquivo para iso e utilizando-o normalmente.

Por ser proprietário, o MagicISO está disponível apenas para Windows e (apesar de conter ISO no nome) utiliza o seu formato próprio como padrão: o uif. Usuários mais descuidados acabam criando imagens com ele, ao invés de utilizar o formato iso também disponível no programa e que por ser padronizado, é multi-plataforma.

Agora eu faço uma pergunta a estes usuários: Se você quer compartilhar um arquivo numa rede bittorrent, isso significa no mínimo que você quer difundir esta imagem com o maior número de pessoas possíveis, certo? Então porque, meu deus, utilizar um formato proprietário para isso? Esta é uma pergunta que eu gostaria de saber responder...

Se você vai criar uma imagem de um CD/DVD para o seu próprio uso, ok! O problema é seu. Agora, se você quer compartilhar esta imagem numa rede de trocas, por favor, utilize um formato livre!

O formato iso dá muito bem conta do recado e é utilizável em qualquer plataforma. Além disso tudo (como se só isso não bastasse) a MagicISO violou a licença GPL, como pode ser visto aqui: http://aluigi.org/misc/magiciso_gpl_violation.txt.

Por isso, NÃO UTILIZE ARQUIVOS UIF EM REDES DE TROCA!!!! E se possível, esqueça que ele existe, pois trata-se de um formato inútil.

Bom, como este é um formato proprietário, como faremos para utilizá-lo? A resposta é a ferramenta uif2iso. Ela é capaz de converter este arquivo para uma imagem iso comum que pode então ser queimada em um CD ou montada normalmente.

Instalando o uif2iso


A primeira coisa a fazer é baixar o programa na página do autor. Para baixar a última versão diretamente , clique aqui. No momento em que estou escrevendo este artigo última versão é a 0.1.7.

Descompacte o arquivo .zip (você pode fazer isso de várias formas, inclusive clicando com o botão direito do mouse sobre ele e escolhendo "extrair aqui", no Gnome)

Uma vez no terminal, vá até o diretório "uif2iso" criado e cole a seguinte linha de comando:
sudo make -C src PREFIX=/usr/local all install

para isso você vai precisar ter os pacotes zlib1g zlib1g-dev instalados. É provável que eles já estejam instalados, mas em todo caso, instale-os utilizando:
sudo aptitude install zlib1g zlib1g-dev

Uma vez instalado, é muito fácil rodar o programa. Para isto basta usar no terminal
uif2iso arquivo.uif arquivo.iso

Considerando que o seu arquivo se chama disco1.uif e que ele está na sua pasta /home, bastaria:
uif2iso ~/disco1.uif ~/arquivo.iso

Pronto! Use e abuse.

Comentários são sempre bem vindos. ;-)

Comente clicando!